Espironolactona Manipulado

DIURÉTICO

Propriedades do ESPIRONOLACTONA Manipulado
Espironolactona Manipulado

Ambos os efeitos, diuréticos e anti-hipertensivo, ocorrem pela ação de bloqueio do intercâmbio de sódio por potássio no túbulo distal renal, o que provoca um aumento na secreção de água e sódio e a retenção de potássio.

A Espironolactona Manipulado é um inibidor competitivo da aldosterona. É bem absorvida por via oral, com uma biodisponibilidade maior que 90%. Sua união às proteínas é muito alta (90%). Metaboliza-se rapidamente no fígado em canrenona (metabólito ativo eliminado por via renal).

Ações Terapêuticas Espironolactona Manipulado

Diurético, anti-hipertensivo, anti-hipopotassêmico.

Indicações Espironolactona Manipulado

Estados edematosos (insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática e síndrome nefrótica). Coadjuvante no tratamento da hipertensão.
Diagnóstico e tratamento a curto e longo prazo do hiperaldosteronismo primário. Prevenção e tratamento da hipopotassemia.

Contra-Indicações Espironolactona Manipulado

Hiperpotassemia. A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de anúria ou disfunção renal, diabetes mellitus, nefropatia diabética, disfunção hepática, hiponatremia, distúrbios menstruais, ginecomastia.

Reações Adversas Espironolactona Manipulado

Podem aparecer sinais de hiperpotassemia (arritmias cardíacas), náuseas, vômitos, diarréia e, com menor freqüência, ginecomastia (após vários meses de tratamento); torpor, tonturas, falta de energia, cefaléias. Em raras ocasiões: erupção cutânea ou prurido (reação alérgica).

Precauções Espironolactona Manipulado

Evitar a ingestão excessiva de alimentos ricos em potássio, o uso de substitutos do sal e outros suplementos de potássio. Nos idosos pode haver maior risco de desenvolver hiperpotassemia. Doses maiores que 100mg/dia podem produzir efeitos endócrinos ou antiandrogênicos.

Interações Espironolactona Manipulado

O uso simultâneo de cloreto de amônia pode produzir acidose sistêmica. O uso de corticóides, ACTH e mineralocorticóides podem diminuir os efeitos natriuréticos e diuréticos e reverter o efeito retentor de potássio. Pode diminuir o efeito anti-hipertensivo ao associar estrogênios, AINE ou drogas simpaticomiméticas. A dopamina pode aumentar o efeito diurético. O uso crônico ou excessivo de laxantes pode reduzir as concentrações séricas de potássio e interferir no efeito retentor de potássio.

Referências Bibliográficas de Espironolactona Manipulado

  1. PR Vade Mecum de medicamentos, 2004/2005.
  2. DEF Dicionário de especialidades Farmacêuticas 2004/2005.
  3. Formulário Médico Farmacêutico. 2ª edição, 2002.
  4. Formulário Veterinário Farmacêutico, 2004.

Faça um Comentário